3.3.17

"Histórias de Balneário" com André Silva





História Baseada em factos reais

Sempre que ia ao ginásio (Solinca do Estádio do Dragão), ansiava por o ver, ele vivia duas ruas atrás de mim e cedo comecei a reparar nele, via-o no autocarro a caminho da escola e via-o no ginásio, mas nunca o tinha conseguido apanhar nos balneários, ou saia antes de mim ou depois.
Ele tinha já na altura uma grande pinta, de rapaz durão e que come todas as raparigas, o machão da escola, também o mais assediado e procurado por elas, uma das minhas amigas consegui mesmo conquista-lo e diz que ele na cama tem força de um touro e as mãos de um cirurgião, aliás a força já ele mostra todos os domingos nos estádios deste país.
Perguntam de quem estou a falar? Pois bem, o rapaz de que falo é o André Silva, jogador do Futebol Clube do Porto, e que este ano está nas luzes da ribalta.



No entanto ele nem sempre foi famoso, e quando ainda não o era, via-o muitas vezes no ginásio, numa das vezes prometi a mim mesmo, que daquela ele não me escapava, tinha de o apanhar nú balneário, e assim foi, quando cheguei ao ginásio lá estava ele nas máquinas a puxar ferro, tinha uma camisola sem mangas, onde se via os seus enormes braços e sem um pelo debaixo as axilas, e estava com um calções pretos que davam para ver o enorme vulto por debaixo.



Esperei, que ele fosse para os balneários e fui atrás, quando chego ele já estava sem camisola, estava todo suado e com os peitorais bem definidos, e aquelas pernas e coxas grossas e todas depiladas, meu deus que homem!



Fui tomar banho antes dele, porque este ainda ficou a mexer no telemóvel, eu queria vê-lo a sair do banho e assim foi, quando ele apareceu só com um pequena toalha que pouco tapava, fiquei pasmado a olhar, depois ele de costas para mim tirou a toalha e vi a água ainda a escorrer por entre as nádegas tão musculadas e definidas, o rabo dele parecia uma rocha. O grande momento foi quando ele se virou de frente para mim e vi aquele canhão que ele tem entre as pernas, era um colosso e balouçava, meu deus, era grosso e ai ele não depilava apenas tinha aparado, mas bem aparado, ele não procurava esconder o seu corpo, nem mostrava timidez, mas também com aquele rabo e aquele pénis, não havia nada a temer, foram minutos que pareciam segundos de tão rápido ter passado, pois ele já estava de boxers vestidas.




Depois, deste dia, várias vezes o tomei duche ao lado dele, pois os chuveiros eram separados mas apenas por um vidro sem porta, não era fácil controlar-me e vê-lo a tomar banho ao meu lado e ver a água a escorrer-lhe por entre as nádegas, tinha muitas vezes de sair para ele não reparar o quão teso eu estava, infelizmente nunca mais o vi, ficam estas boas e gostosas memórias.


4 comentários:

  1. Seria bastante interessante, saber quais são realmente as partes verídicas e as partes ficcionadas da história.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. caro anónimo, neste caso estamos perante uma historia real, o nosso testemunho viu efectivamente o andré nú!

      Eliminar
    2. Como posso enviar minha historia?

      Eliminar

Qualquer tipo de ofensa será automaticamente apagada.