24.2.17

Grupo + TV Sexy - Conteúdos Exclusivos

Clica em cima da imagem e acede a conteúdos exclusivos, partilha novas experiências e debate temas!
Já somos mais de 900!
Vem ter connosco!

ELES POSTAM! NÓS MOSTRAMOS! - RÚBEN RUA, PEDRO CARVALHO, RUI ANDRADE, PEDRO GUEDES, GIL SOARES, RICARDO BAPTISTA E CR7










"Histórias de Balneário" com Lourenço Ortigão - Parte 2



História Fictícia

Fui para o balneário onde eu estava que era mesmo ao lado do chuveiro, e como sabia que dali poderia ver o Lourenço, deixei-o estar à vontade para saber o que se iria passar. Eu tirei a minha sunga e fiquei completamente nú, com apenas a toalha a tapar o meu pau. De seguida olhei para o Lourenço, ele estava a tirar a sunga... fiquei sem reacção, o Lourenço estava nú, e eu estava a ver tudo. O pénis dele era grosso e grande media por ai uns 15 centímetros, era delicioso. Depois dele já ter tirado o sabão do corpo começou a fazer festinhas no seu pénis, ele estava a ficar de pau, olhou para um lado e para o outro e como viu que ninguém o estava a observar, começou a bater uma, mas esqueceu-se de que eu estava no balneário em frente, mas como eu estava um pouco escondido não se apercebeu da minha presença. Ali estava ele de pau feito a bater uma e deliciosa punheta, ele passava a sua mão esquerda pelo seu corpo quando a água lhe corria pelo corpo abaixo, estava completamente excitado. Depois deixou-se cair no chão e deitado bateu até não poder mais, começou a gemer bem alto, aquele momento era de plena excitação, o Lourenço deitado no chão do chuveiro a bater uma punheta e a gemer aos altos berros, parecia que já não haveria amanhã, tal era a excitação que ele tinha, eu a observa-lo comecei também a bater uma, destapei o meu pénis e comecei, já nem me interessava que pudesse aparecer alguém e que me apanha-se. O Lourenço continua no seu momento de prazer, deitava o gel branco por todo o seu corpo e espalhava pelos seus perfeitos abdominais só se via o gel branco espalhado por todo o seu corpo, ele deitado a bater uma com a força toda, e gemendo muito, era um momento que sem dúvida eu não me iria esquecer. De repente, o Lourenço sem parar de bater a punheta, goza vezes seguidas, a sua esporra branca cobria o seu corpo molhado, o Lourenço mesmo tendo gozado muito continuava a bater e a gemer muito alto passando a sua mão pelo seu corpo sentindo todo o prazer do momento. Depois o Lourenço gozou mais uma vez, mas esta tinha sido forte tinha-lhe atingido também a cara. A sua cara estava coberta do seu leitinho branco, ele tirava com a mão a esporra no seu corpo e levava-a até à sua boca deliciosa. O momento foi de puro prazer, ele sozinho a bater uma nos balneários da piscina e gemendo com todo o seu prazer, momento delicioso ao qual eu presenciei.



Depois daquele momento de prazer o Lourenço passou o seu corpo pelo chuveiro, vestiu a sunga e dirigiu-se para o balneário, que curiosamente era onde eu estava. Ele entrou com um ar envergonhado mas não dirigiu a palavra, mal ele sabia que eu tinha assistido a tudo. Eu já com as calças vestidas, calcei as minhas sapatilhas enquanto o Lourenço se secava com a toalha, estava nú novamente à minha frente mas agora era para se vestir, não para ter mais nenhum momento de prazer delicioso. Depois de eu estar vestido e pronto, sai e desejei novamente um bom dia ao qual ele retribuiu, sai mas fiquei atrás de uma parede a olhar para ele a ver se iria acontecer mais alguma coisa, mas não o Lourenço vestiu os boxers que ficaram com um volume bastante delicioso. Eu saí das piscinas, e fiquei muito contente e claro que queria repetir a experiência, foi um momento de prazer super delicioso que qualquer pessoa queria repetir, e ver o Lourenço Ortigão nú, não era todos os dias. 





























Na próxima semana com André Silva!


17.2.17

"Histórias de Balneário" com Lourenço Ortigão



História baseada em factos reais

Era Novembro e estava um dia de Nevoeiro Intenso, e eu como nesse dia não tinha nada para fazer, então decidi ir à piscina coberta. 
     Fui preparar o saco para poder ir à piscina e fiquei um pouco indeciso entre levar calções ou sunga, mas acabei por decidir levar sunga. Depois de tudo bem preparado, já podia ir para a piscina. Quando cheguei à piscina não se encontrava ninguém no seu exterior, só apenas um cão que possivelmente não teria dono, fiquei com pena, pois o nevoeiro era intenso neste dia.

     De seguida e sem mais demoras, entrei nas piscinas, passei o meu cartão de cliente à entrada e segui directamente para os balneários. Estavam poucas pessoas nos balneários, não havia quase nenhum homem, também o dia não ajudava. Fiquei no balneário mais próximo dos chuveiros, para mais facilmente tomar um duche quando finaliza-se a minha aula. Comecei por tirar a t-shirt, estava calor lá dentro, depois tirei os ténis, as calças e por fim os boxers. Vesti a Sunga, coloquei a touca na minha cabeça e calcei os chinelos e fui passar o meu corpo no duche para poder entrar na água da piscina. Quando entrei na piscina a água estava convidativa a ficar lá umas boas horas a relaxar, nadei ida e volta, ia ao fundo da piscina tocar com o meu pénis no seu fundo, e voltava para a superfície da agua para que as poucas pessoas que lá estavam não se apercebessem do que eu estava a fazer. De repente olho para a porta dos balneários que dava acesso às piscinas, e apareceu o Lourenço Ortigão, de sunga calção azul, ele sem dúvida que era mais bonito ao vivo, nunca pensei que o fosse encontrar nas mesmas piscinas que eu frequentava mas achei óptimo, ele estava todo depilado, axilas, pernas e claro peito.


 Eu estava na piscina 2, e ele foi para a piscina 4, estava a uma piscina de mim, não deixei de reparar no seu belo volume que tinha quando desceu as escadas de acesso à água. Ele nadou ida e volta e eu observava-o atentamente. Passado sensivelmente meia hora estava na minha hora de sair da água e ir para o duche o limite máximo que se podia estar na água era de 1h e 15m.



Subi as escadas da piscina e fui em direcção ao balneário, o Lourenço saíra quase ao mesmo tempo que eu da piscina. Preparei as minhas coisas para o duche, e depois de tudo estar pronto fui para o local dos chuveiros, estava a ligar a água dos chuveiros quando de repente surge o Lourenço Ortigão à minha frente, ele ainda estava de sunga tal como eu. Ele ficou ao meu lado no chuveiro e eu para meter conversa com ele disse-lhe que nadava muito bem. Ele de seguida respondeu-me com um ar simpático, e disse: 
- obrigado, aprendi com o meu pai quando era mais pequeno desde aí nunca mais deixei de nadar, é o que mais gosto de fazer. 

Depois o Lourenço começou a ensaboar-se, que delicia, aquele sabão a percorrer aquele corpo molhado. O meu volume começava a aumentar na sunga, foi aí que decidi virar-me de costas para ele, para que este não repara-se. Quando me virei apercebi-me que ele, mas ainda de sunga vestida, estava a tocar no pénis, como parece-se que queria bater uma punheta, ali e agora. 


 Ele saiu do chuveiro antes de mim, pouco depois também saí, e quando me dirigi para o meu cacifo percebi que ele estava no mesmo corredor que eu, ele estava a secar-se com a toalha e consegui ver o seu rabo e pénis.
O pénis estava aparado com alguns pelos mas nada de especial, e media sensivelmente 15cm, o rabo é como uma rocha bem duro e bem redondinho, e estava totalmente depilado.

Continua....